today-is-a-good-day

Erros de Concordância: confira os principais

concordância

A concordância verbal e a concordância nominal são conteúdos de português que pegam no pé de muita gente, principalmente na hora de produzir um texto. Pensando nisso, o QG elaborou uma matéria sobre os principais erros de concordância, para você entender como evitá-los! Confira:  

A concordância verbal ou nominal pode ser classificada como uma forma de “harmonizar” a ligação entre os termos de alguma sentença. Esses termos podem ser substantivos, pronomes, verbos, numerais e adjetivos, por exemplo.  

CONCORDÂNCIA VERBAL 

A concordância verbal é a relação estabelecida entre o sujeito e o verbo. Para isso, é necessário que o verbo flexione de acordo com as características do sujeito.  

Exemplo:  

Marisa gosta do clima frio.  

Os cavalos se soltaram e correram pelo campo.  

concordância

PRINCIPAIS ERROS 

Coletivo: quando temos um sujeito coletivo, o verbo deve flexionar no singular, porque o coletivo é um vocábulo singular, que indica pluralização de elementos. No entanto, se esse coletivo vier especificado, o verbo pode ser flexionado no plural. Exemplos: 

A maioria concordou com o novo projeto de lei.  

A multidão de torcedores ultrapassou o limite imposto.  

A multidão de torcedores ultrapassaram o limite imposto. 

 

Pronome relativo “quem”: quando temos uma oração com o pronome relativo “quem”, o verbo deve concordar com o termo antecedente ao pronome. Exemplos:  

Somos nós quem queremos 

Sou eu quem quero  

 

Partícula “se”: quando a partícula “se” é empregada como índice de indeterminação do sujeito, o verbo deve ser conjugado na 3ª pessoa do singular. Quando a partícula “se” é empregada como pronome apassivador, o verbo deve ser conjugado de acordo com o sujeito da oração. Exemplos: 

Precisa-se de funcionários  

Alugam-se casas  

Construiu-se um novo prédio 

*Uma boa dica nesse caso é observar se há uma preposição na oração. Havendo uma preposição, a partícula “se” é índice de indeterminação do sujeito* 

 

Pronomes impessoais: quando temos verbos impessoais (verbos que não possuem sujeito) eles devem concordar com a 3ª pessoa do singular. Exemplos: 

Faz dois anos que não a vejo. 

Havia pessoas caminhando na praia. 

 

CONCORDÂNCIA NOMINAL 

A concordância nominal é a relação estabelecida entre o substantivo e seus determinantes (pronomes, artigos, adjetivos e numerais). Para isso, é necessário haver uma concordância entre os termos, quanto ao gênero e ao número.  

Exemplo: 

A moça loira chegou para a consulta. 

Os anéis estavam caídos no chão. 

 

PRINCIPAIS ERROS 

Vários substantivos: quando temos substantivos de gêneros diferentes enumerados, o adjetivo vai concordar com o substantivo mais próximo. No entanto, podem também estabelecer concordância na forma masculina do plural. Exemplos: 

Tênis e meia nova 

Meia e tênis novo 

Tênis e meia novos 

 

Menos: a palavra “menos” nunca varia, seja em forma de adverbio, seja em forma de adjetivo. Exemplos: 

Tenho menos medo de barata do que altura. 

Ela está menos cansada que você. 

 

Bastante, muito, pouco, caro, barato: essas palavras estabelecem concordância de gênero e número com o substantivo, quando são empregadas como adjetivos. Exemplos: 

Comi meia caixa de bombom. 

Há bastantes quadros na sala. 

Vi muitas crianças na praça. 

 

Embora com muitas regras, a concordância verbal e a nominal não são tão difíceis quanto parecem. Devido ao nosso processo de aprendizagem e às leituras que absorvermos ao longo da vida, já internalizamos muitas dessas normas. Basta dar uma revisada! 

Compartilhar

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp